quinta-feira, 17 de junho de 2010

Presidenciais 2010


Do site de Adriana Vandoni, por Peter Wilm Rosenfeld, 17/06/2010 às 17h

Finalmente, agora podemos falar em “candidatos”, deixando de usar a ridícula expressão pré-candidatos que tinha que ser usada.
Os dois principais contendores foram oficialmente eleitos pelos respectivos partidos, o que desde há meses se sabe que aconteceria.
O PSDB, como sempre, continua “meia boca”, sem ainda ter escolhido o candidato a Vice-Presidente…
No caso do PT, houve uma peculiaridade interessante, penso que jamais ocorrida em eleições anteriores: sua candidata, Sra. Dilma Rousseff foi de fato escolhida pelo Sr. da Silva, que não deu ao partido a menor possibilidade de escolher ou indicar outra pessoa.
Foi realmente “manu militari” (e ainda falam dos generais-candidatos, eleitos sem que ao partido oficial, Arena, fosse dada qualquer possibilidade de interferir na escolha…), tendo o Sr. da Silva demonstrado à exaustão que quem realmente manda no partido é ele.
Mas, de acordo com nossa estranha e esdrúxula lei eleitoral, os partidos e os candidatos ainda não estão autorizados a entrar em campanha oficialmente e para valer. Isso só poderá ser feito a partir do próximo mês.
Se a candidata do PT vencer, o que está parecendo cada vez mais possível (mas não ainda provável), podemos ter certeza de que quem estará dando as cartas será o Sr. da Silva, inclusive como preparação de seu retorno em 2014. Claro que ele o negará com toda a veemência possível, mas será, tão somente, mais uma de suas tantas mentiras.
Teremos, com certeza, um recrudescimento da comparação entre os governos FHC e o do Sr. Silva,  ainda que os dois principais candidatos tenham suas idéias e seus modos, o que é muito válido para o PSDB, pois o Sr. José Serra tem personalidade própria, mas certamente, não aplicável à Sra. Rousseff, que com quase certeza será um “clone” do Sr. da Silva, rigorosamente monitorada e tele-guiada por ele
Já me disseram que o PT está insistindo na comparação com o governo do Sr. FHC na tentativa de evitar qualquer alusão às supostas virtudes da Sra. Rousseff.
Supostas virtudes de administradora. E supostas porque seu desempenho nos cargos que ocupou no RS, tanto na Prefeitura de P. Alegre como no governo do Estado não permitem dizer que foi uma administradora competente.
De igual maneira, seu desempenho como Ministra de Minas e Energia nada teve de excepcional.
A Sra. Rousseff e seu chefe alardeiam que a administração FHC foi tão incompetente que acabou levando o País a um “black out” de três meses, enquanto que no atual governo isso não teria ocorrido.
Mais uma das mentiras do Sr. da Silva. A falta de energia no período do Sr. FHC se deveu a uma brutal e prolongada estiagem, que obrigou o governo a pilotar com extremo cuidado as usinas hidrelétricas que são a base de nossa capacidade de produção. Logo, não foi conseqüência de mau gerenciamento e sim um fenômeno da natureza.
Enquanto isso, no governo do Sr. da Silva, significativa parte do Brasil ficou sem luz, alegadamente por um verdadeiro milagre da natureza: três raios elétricos atingiram três linhas de transmissão de Itaipú e as danificaram (cada raio escolheu sua linha)…
Todos os especialistas e técnicos da área de energia elétrica ressaltaram a grande improbabilidade de tal fenômeno ocorrer, mas o governo manteve sua mentira até hoje…
Como estamos cansados de saber, o Sr. da Silva e virtualmente todos seus auxiliares ou comandados no governo foram, ao longo dos quase oito anos de mandato, grandes e persistentes mentirosos no que respeita aos atos e fatos ocorridos. Penso ser isso um cacoete do Sr. da Silva, transmitido a todos os integrantes do governo.
E a Sra. Rousseff se tornou especialista na mentira! Para comprová-lo, basta que se analise o andamento das obras dos famosos Programas de Aceleração do Crescimento 1 e 2 (PAC 1 e 2), sobre os quais versou meu artigo da semana passada, comparando a realidade com o que vem sendo alardeado pela  candidata ao governo!
Nenhuma das obras incluídas nesses programas está com seu cronograma em dia. Algumas delas estão com atraso de mais de um ano! São verdadeiras miragens.
Com um bom administrador isso jamais ocorreria, até porque no planejamento da obra possibilidades de atraso seriam previstas e o cronograma seria diferente desde o início.
Em outra área da administração federal, a de relações exteriores, seria um desastre para o Brasil se o próximo governo decidir continuar com a política externa da mesma forma como vem sendo conduzida atualmente.
Nosso País está ficando completamente desmoralizado perante todos os países nos quais os governos são efetivamente democráticos.
A situação de quase subserviência demonstrada pelo Sr. da Silva em relação a seus “cumpanhêros” de muitos outros países, alguns deles declaradas ditaduras (Cuba, Libia e algumas africanas) e outros supostas democracias (Venezuela, Bolívia e Irã entre elas), não deixam nosso País em posição muito agradável. Aliás, muito antes pelo contrário.
Como brasileiro nato e já bem vivido em meus mais de 78 anos de idade, não me sinto nada confortável com essa situação.
E, à medida em que o dia 03 de outubro se aproxima, cada vez mais inconfortável…

2 comentários:

  1. O autor deste artigo reproduzido aqui em cima, Peter Wilm Rosenfeld, privilegiará doravante este blog com o envio semanal dos seus artigos.

    ResponderExcluir
  2. Não há dúvida nenhuma. O vice de Serra é mesmo o senador Álvaro Dias, do PSDB do Paraná.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-