quinta-feira, 17 de junho de 2010

Aposentadorias recuperadas

Comissão da Câmara de Deputados aprova projeto que recompõe benefícios do INSS em números de salários mínimos

POR MAX LEONE

Aposentados do INSS obtiveram ontem a segunda vitória consecutiva para recompor seus benefícios. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou projeto (PLP 4.434/08) que restaura às aposentadorias o mesmo valor em número de salários mínimos da época da concessão. A proposta foi aprovada um dia após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionar o reajuste de 7,72% para segurados que ganham acima do piso nacional. Pelo projeto, que ainda vai à votação em Plenário, a retomada do valor original será feita em cinco anos. A iniciativa vai beneficiar 13 milhões de aposentados em todo o País.

“Se aposentou ganhando cinco salários mínimos e hoje recebe dois, o aposentado vai voltar a receber os cinco. Isso é justiça, nada mais”, afirmou o senador Paulo Paim (PT/RS), autor do projeto aprovado no Senado em 2008 e que agora tramita na Câmara.

A proposta cria um índice que reajusta os valores atuais de aposentadorias para que voltem a se equiparar, nos próximos cinco anos, ao número de pisos à época em que começaram ser pagas. O deputado José Genuíno (PT-SP) votou contra o projeto, que, segundo ele, terá impacto de R$ 80 bilhões para os cofres da Previdência.

O presidente da Confederação Brasileira de Aposentados (Cobap), Warley Martins, comemorou a segunda vitória em dois dias. Ele informou que já fez pedido de audiência ao presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), para que a proposta seja votada antes das eleições de outubro. O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) afirmou que pedirá urgência para a votação do projeto em Plenário. “As vitórias são frutos das mobilizações”, comemorou Martins.

Caso entre em vigor, a proposta de recomposição beneficiará aposentados como Cláudio da Costa, 72 anos, que passou a vida contribuindo sobre cinco mínimos e hoje recebe aposentadoria no valor de apenas um. “Dá até vergonha de falar. Com R$ 510, dá para viver bem?”, lamenta-se.
Lula: “7,72% não vão quebrar o País”
O reajuste de 7,72% aos aposentados que recebem acima de um salário mínimo não vai “quebrar um país ”, nas palavras do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Fiquei imaginando qual o prejuízo ao país com esse aumento, além daquilo que eu já tinha dado, e recebi informações de que o aumento do consumo nos próximos meses dessas pessoas, já vai recuperar parte desse dinheiro em impostos que o governo vai cobrar”, defendeu.
Já o ministro da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, informou que o governo trabalha para conseguir pagar os atrasados do reajuste na folha creditada em agosto. Se não houver tempo hábil, os atrasados sairão na folha de agosto, paga em setembro.
O Dia online, 17.06.10 às 01h22

Um comentário:

  1. E o atual presidente do Brasil, além de fazer crer a milhões que foi ele que deu esse reajuste, ainda se permite ironizar o percentual. É dose!

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-